Facebook Rádio Cultura

Adicione nosso skype
19/12/2014 - 10h12 | Aumentar ou diminuir o tamanho da letra

Morte por hantavirose é confirmada em Joaçaba, no Oeste de SC

Causa de outras duas mortes são investigadas pela Secretaria de Saúde. Vírus é transmitido de roedores e adquirido por pessoas pela respiração. Morte por hantavirose é confirmada em Joaçaba, no Oeste de SC Uma morte por hantavirose foi confirmada em Joaçaba, no Oeste de Santa Catarina. De acordo com a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Regional de Saúde, esta é a primeira morte em 2014 na região. Outro caso também foi confirmado em uma criança, mas ela recebeu tratamento e passa bem. A jovem de 21 anos morreu em novembro, mas a confirmação da causa da morte saiu na quinta-feira (11). “Foram dois casos de hantavirose em novembro, um com essa morte, e outro de uma menina de 10 anos que já está em casa e bem", afirma Cleci Lucini, enfermeira responsável pela Vigilância Epiudemiológica da 7ª Gerência de Saúde em Joaçaba. Segundo informações da RBS TV de Joaçaba, dias antes da morte a mulher havia limpado um galpão onde pode ter adquirido a hantavirose. Segundo ela, havia a suspeita que outras três mortes pudessem ter sido causadas pela mesma doença, mas um exame laboratorial teve resultado negativo para um dos óbitos. A Vigilância aguarda o resultado das outras duas mortes, uma delas ocorrida na segunda-feira (15). Como prevenir O hantavírus é transmitido através de fezes, urina e saliva de roedores e adquirido pelas pessoas através da respiração. De acordo com a enfermeira Cleci Lucini, os primeiros sintomas são complicações respiratórias, tosse seca e dor de garganta. Para evitar o contágio é necessário manter os ambientes limpos. "Eliminar quaisquer resíduos de alimentos que possam atrair ratos. Quando for limpar algum local, colocar um litro de água sanitária para cada nove litros de água e deixar agir no local por 30 minutos. Depois pode limpar normalmente", explica Cleci. Arejar os ambientes também colabora para evitar o vírus. Além disso, de acordo com a Secretaria Regional de Saúde, os moradores da região podem contar com o apoio da Vigilância Sanitária. “A gente tem um apoio grande da Vigilância Sanitária. Se algumas pessoas tiverem interesse que a vigilância faça uma visita até o local para orientações mais específicas, ela está à disposição", diz Bárbara Brollo Piculi, enfermeira da Secretaria de Saúde.

Fonte/Créditos: G1.globo.com